Ninho

Espetáculo Ninho protagonizado pela atriz Janaína Suaudeau terá temporada on-line e gratuita no Teatro Aliança Francesa em março.

SINOPSE

O espetáculo Ninho, primeiro texto do autor catalão Marc  Garcia  Coté, ganhou encenação pelas mãos do diretor Bruno Guida em 2020, tendo no elenco Janaina Suaudeauresponsável também pela tradução. Agora, volta em cartaz na programação online do Teatro Aliança Francesa, em curta temporada de 3 a 18 de marçoAs sessõesàs quartas e quintas às 21h, serão transmitidas pelo YouTube da Contorno Produções. Os ingressos são gratuitos. 

A montagem foi destaque no site Observatório do Teatro nas categorias Luz, Cenário, Figurino, Direção Musical e Trilha Sonora e Atuação. 

A peça começa com o relato de um acidente aéreo, o ritmo do texto se mostra vertiginoso como o fluxo de pensamentos da personagemEssa queda provoca o monólogo interior da personagem: um ninho de vozes que se encontram numa verdadeira fuga da consciência e nos permite viajar até a ilha onde passou a infância cercada de pássaros”, explica o autor. 

A narrativa frenética chamou a atenção de Bruno Guida. O texto sugere um delírio onde um acidente aéreo é sobreposto à uma discussão de um casal em um bar e a um ataque de pássaro na infância. Em cena temos o fluxo de pensamento dessa figura que passou por um trauma e agora vomita palavras diretamente para a plateia, sempre com muito humor”, explica. 

Para Janaína Suaudeau é a história de uma menina que rompe o silêncio e investiga seu trauma de infância. Nessa peça, a personagem não tem um arco dramático, visto que a dramaturgia do Marc é fragmentada. É como se o trauma dela fosse dissecado na frente do público e que enxergássemos sinapses do cérebro dela ao vivo. É tudo muito rápido e intenso”. 

Para a peça, Bruno Guida continua uma pesquisa que começou com The Pillowman  O Homem Travesseiro, de Martin McDonagh e In Extremis, de Neil Bartlett, que transita entre a comédia, o suspense, o terror e a fábula. Com estética grotesca, ao apresentar tipos com deformações físicas, em Ninho investe em uma linguagem que flerta com a bufonaria.   

“Usamos a técnica para construir uma persona que libera o ator de criar uma personagem e o possibilita a entrar em contato direto com o público. Essa figura faz também uma conexão com algo do plano do mistério, alguma coisa que não pertence ao plano da realidade. Alguém que traz mensagens importantes, ocultas, e que para serem apreendidas necessitam de um certo envolvimento que ultrapassa a mera compreensão intelectual. Divertir e entreter o público é a tática que o bufão utiliza para conseguir disseminar suas ideias e críticas de maneira impactante, pois o soco vem em seguida de uma gargalhada que por sua vez é rapidamente substituída por um momento de lirismo”, explica Janaína. 

A montagem propõe uma experiência teatral que provoca o espectador a investigar os conceitos de beleza e feiura, de mudez e de fala e de memória e realidade da personagem. O cenário é um local não definido, uma espécie de limbo ou purgatório pontuado por alguns objetos que remetem ao acidente narrado no início do texto e objetos da infância da personalidade encarnada pela atriz, como os pássaros 

 

O figurino, traz deformidade ao corpo da atriz, elevando sua figura do plano da realidade e permitindo que ela entra e saia de diversos personagens sem nunca perder a conexão direta com o público. É um espetáculo onde a quarta parede é explodida e a interlocução com a plateia se dá o tempo inteiro. “E quase um embate direto”, diz Bruno.  

 

O texto, primeiro do autor catalão, foi selecionado pelo Comitê de Leitura do Teatro Nacional da Catalunha e apresentado na Sala Tallers do mesmo teatroem 2015. Quando eu escrevi a voz dessa personagem, o que mais me surpreendeu foi a forma como ela se apresentou: por espasmos. Eu, então, me propus a puxar o fio tenso do silêncio que a página em branco me oferecia de forma abundante. Eu queria refletir sobre a mudez; especialmente essa passagem entre o fim da mudez e o começo da voz falada”, conclui Coté. 

SERVIÇO

Ficha técnica: 

Texto: Marc Garcia CotéTradução: Janaína SuaudeauColaboração tradução: Bruno GuidaDireção: Bruno GuidaAtuação: Janaína SuaudeauMúsica Original: Marcelo PellegriniCenário e Adereços: Marcela DonatoDesenho de Luz: Anna TurraFigurino e visagismo: Daniel InfantiniMaquiagem: Louise HélèneAssistente de Direção: Victor AbrahãoProdução Musical: Surdina. Canções AdicionaisBlue Moon (R. Rodgers/L. Hart) – The Mavericks e Don’t Give Up On Me (D. Penn, C. Whitsett, H. Lindsey) – Solomon Burke. Vídeo e Transmissão ao vivo: Miguel Salvatore. Adaptação e Operação de Luz: Marcel RodriguesComunicação e Mídias Sociais: Jessica Rodrigues e Barbara BertaAssessoria de Imprensa: Adriana BalsanelliDesign gráfico: Lucas SanchoFotos: Lígia JardimFotos material gráfico: Cleber Corrêa. TeaserDiogo de Nasaré. Produção: Contorno Produções e Pitaco ProduçõesDireção de Produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez. 

 

Este projeto foi contemplado pelo EDITAL PROAC EXPRESSO LEI ALDIR BLANC Nº 36/2020 PRODUÇÃO E TEMPORADA DE ESPETÁCULO DE TEATRO COM APRESENTAÇÃO ONLINE. 

 

Serviço: 

NINHO NO TEATRO ALIANÇA FRANCESA ON-LINE 

De 3 a 18 de março – Quartas e quintas às 21h. 

Ingressos: Grátis.  

Transmissão: http://bit.ly/2L76BdA 

Duração: 40 minutos 

Classificação etária: 16 anos 

Ingresso: Grátis.