Diálogos Transversais #8 – Mulheres filósofas e pensadoras feministas

Aliança Francesa convida para a Oitava Edição do Projeto que realiza debates interculturais com convidados franceses e brasileiros

SINOPSE

A Aliança Francesa de São Paulo organiza o projeto Diálogos Transversais com o objetivo de cruzar visões e conhecimentos de especialistas franceses e seus pares brasileiros. Desde seu lançamento em 2017, o projeto recebeu o repórter Grégoire Deniau, vencedor do Prêmio Albert-Londres, numa conversa com a jornalista brasileira Patricia Campos Mello, o diplomata Anis Nacrour, ex-representante da delegação da União Europeia na Síria, juntamente com Renato Janine Ribeiro, Professor Titular de Ética e Filosofia Política da USP, o chef Michaël Arnoult, 2 estrelas por seu restaurante Les Morainières, e a professora de gastronomia Lucy de Boer, da Universidade Anhembi Morumbi.

 

DIÁLOGOS TRANSVERSAIS #8 – Mulheres filósofas e pensadoras feministas

O oitavo debate reúne três pesquisadoras e um pesquisador em ciências humanas (filosofia, antropologia e ciência sociais) com um ponto comum – trabalhos centrados na mulher e no feminino/feminismo. Professoras de três universidades da capital paulista – Carla Cristina Garcia (PUC), Isabela Oliveira (FESPSP) e Jacqueline Moraes Teixeira (USP) trazem um pouco da sua pesquisa para o debate que conta também com a participação de Maxime Rovere, francês radicado no Rio, professor da PUC-Rio.

Maxime é o organizador do livro que inspira o tema do Diálogos – ‘Arqueofeminismo: mulheres filósofas e filósofos feministas’ (Edições N–1). A obra busca reequilibrar uma história exclusivamente masculina da filosofia, pois a filosofia nunca teria sido possível durante dois ou três milênios sem as mulheres. O livro traz então textos dessas pensadoras, muitas vezes curtos e enérgicos, que geralmente lidam com os direitos das mulheres, mas também testemunham grandes questões filosóficas. Maxime coordenou uma equipe composta igualitariamente por estudantes brasileirxs em filosofia que trabalhou no livro e nas traduções dos textos.

 

BIOGRAFIAS

 

Carla Cristina Garcia – Antropóloga e Docente na PUC-SP

Carla Cristina Garcia é Mestre e Doutora em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e pós-doutorada pelo Instituto José Maria Mora (México, DF). É professora da PUC-SP no programa de estudos pós graduados em psicologia social e ciências sociais e autora dos livros Ovelhas na Névoa: um estudo sobre as mulheres e a loucura (Ed. Rosa dos Tempos/Record), Produzindo Monografia (Ed. Limiar), As Outras Vozes: memórias femininas em São Caetano do Sul (Ed. Hucitec), Sociologia da Acessibilidade (IESD), Hambre del Alma. Escritoras e o banquete de palavras (Ed. Limiar), Breve História do Feminismo (Ed. Claridade), O Rosa, o Azul e as Mil Cores do Arco-Íris. Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente (Ed. Annablume), Mulheres, Tempos e Trabalhos ( Ed. Annablume).

 

 

 


Jacqueline Moraes – 
Antropóloga e Docente na FE-USP

Doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP). Possui graduação em Ciências Sociais e graduação em Teologia. É pesquisadora do NAU (Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana da USP)  e do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento) onde desenvolve pesquisas na área de gênero, sexualidade e religião.  Atualmente é professora no Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação da Faculdade de Educação da USP e colunista na Justificando/Carta Capital. É autora do livro “A mulher Universal: corpo, gênero e pedagogia da prosperidade”.

 

 

 

 

 

 

 

Isabela Oliveira Kalil – Antropóloga e Docente na FESPSP

Doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo – FFLCH/USP, com estágio doutoral em Columbia University, na cidade de Nova Iorque (2011/2012). Possui Mestrado em Antropologia Social – FFLCH/USP (2007) e Graduação (Licenciatura e Bacharelado) em Ciências Sociais pela UNESP/FCLAr (2002). Seu mestrado “Bárbaros tecnizados: cinema no Teatro Oficina” foi vencedor do prêmio Rumos Pesquisa Itaú Cultural e analisa a produção artística do grupo teatral durante a ditadura militar no Brasil, a Revolução dos Cravos em Portugal e o processo de independência de Moçambique. Sua pesquisa de doutorado investiga a presença de autores norte-americanos no desenvolvimento das Ciências Sociais no Brasil entre as décadas de 1930 e 1950, especialmente os temas desenvolvidos pela chamada Escola de Chicago ligados à sociologia urbana e estudos de relações raciais. Atuou como bolsista no projeto temático da FAPESP “São Paulo, os estrangeiros e a construção da cidade”, sediado na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – FAU/USP. Desde 2009, integra o Coletivo ASA (Grupo de Pesquisa em Artes, Saberes e Antropologia), vinculado ao Departamento de Antropologia Social da USP. Atua como docente na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Na mesma instituição foi pesquisadora do grupo “Sociologia e Pensamento Social no Brasil” e participou do projeto “A Ciência Social em Revista: temas e debates na revista Sociologia (1939-1966)”, com financiamento do edital MEC/CAPES/CNPq de Ciências Humanas. Na pós-graduação, orienta trabalhos que tratam de políticas do cotidiano, artes, espaço público e questões urbanas a partir das interseções entre gênero, classe, raça, idade, consumo e lugar. Atualmente é coordenadora do NEU (Núcleo de Etnografia Urbana e Audiovisual) na mesma instituição.

Maxime Rovere – Professor de Filosofia na PUC-Rio e autor do livro ‘Arqueofeminismo’

Possui Mestrado em História da Arte pela École du Louvre (1998), Mestrado em Estética e Filosofia das Artes pela Université Paris I-Panthéon Sorbonne (1997), Agrégation em Filosofia pela École Normale Supérieure (Paris, 1999), e Doutorado em História da Filosofia na École Normale Supérieure (Lyon, 2006). Tem experiência na área da Filosofia, com ênfase em História da Filosofia Moderna, Racionalismo, Spinoza, História dos círculos intelectuais e da circulação de ideias. Oferece uma abordagem original à história da filosofia. Seus trabalhos sobre Spinoza (Métodos para Existir em 2010, O Clã Spinoza em 2017) transformaram a imagem de um gênio solitário em um grupo de amigos apaixonados e comprometidos. Seus trabalhos sobre as mulheres mostram o papel na história de grandes mulheres e redes muitas vezes ignoradas.

 

Sobre o livro Arqueofeminismo: mulheres filósofas e filósofos feministas (Edições N–1)

Dirigido por Peter Pal Pelbart, publicado sob a direção de Maxime Rovere – uma coleção de textos escritos por mulheres filósofas (Marie de Gournay, Olympe de Gouges) e pensadoras feministas (Poulain de la Barre, Choderlos Laclos). Seu objetivo é reequilibrar uma história exclusivamente masculina da filosofia, porque a ideia de um passado intelectual uniformemente masculino é simplesmente errada! Filosofia nunca teria sido possível durante dois ou três milênios sem a ajuda de mulheres. Estes textos, muitas vezes curtos e enérgicos, geralmente lidam com os direitos das mulheres, mas também testemunham o entrelaçamento entre seu status e as grandes questões filosóficas (o corpo, a história). Eles foram traduzidos por uma equipe de estudantes brasileirxs em filosofia, composta igualitariamente por mulheres e homens.

SOBRE O TEATRO ALIANÇA FRANCESA
Desde sua criação, em 1964, o Teatro Aliança Francesa destacou-se como um espaço de encontros intelectuais e artísticos entre a França e o Brasil. Ao longo dos anos, importantes nomes da dramaturgia brasileira se apresentaram e foram revelados, como Marília Pêra e Gianfrancesco Guarnieri. Além disso, o espaço já acolheu textos de grandes escritores franceses, como Eugène Ionesco e Molière, e possibilitou residências artísticas, como a do Grupo Tapa, por mais de uma década.

SOBRE A TICKET, GRUPO EDENRED
Presente no Brasil desde 1976, a Ticket conquistou a liderança histórica do setor de refeição-convênio, com o Ticket Restaurante, primeiro benefício brasileiro de alimentação ao trabalhador no Brasil e que nasceu no mesmo ano que o Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), do Ministério do Trabalho. Nestes 41 anos no País, a empresa é quem possui a maior rede de adquirentes atualmente no mercado (Rede, Cielo, Getnet, PagSeguro, Elavon e Stone) e ampliou seu leque de atuação, com o lançamento de produtos e serviços inovadores e pioneiros nos segmentos de alimentação, transporte, cultura e premiação. Com abrangência nacional, são mais de 70 mil empresas clientes, mais de 5 milhões de usuários e mais de 320 mil estabelecimentos credenciados. A Ticket é parte do Grupo Edenred, líder mundial em soluções transacionais para empresas, empregados e comerciantes.

Lei Federal de Incentivo à Cultura
Patrocínio Premium: Edenred/Ticket
Patrocínio: Société Générale, BNP Paribas
Apoio: Tereos
Parceria: Air France, TV5Monde
Realização: Aliança Francesa de São Paulo, Ministério da Cultura – Governo Federal

SERVIÇO

Diálogos Transversais #8 –  Mulheres filósofas e pensadoras feministas

Data: 04 de setembro

Horário: às 20h

Local: Teatro Aliança Francesa – Rua General Jardim, 182 – Vila Buarque (próximo metrô República)

Gratuito – retirada de ingressos 1h antes

Evento em português e em Libras

INGRESSOS

Evento gratuito.
Retirada de ingressos 1 hora antes na Bilheteria do Teatro.